Campanha do Outubro Rosa alerta para a importância do diagnóstico precoce do câncer de mama

Campanha do Outubro Rosa alerta para a importância do diagnóstico precoce do câncer de mama

“Eu descobri o câncer de mama em um exame de rotina que realizei no ano passado. Felizmente fiz o tratamento no Hospital da Mulher”. O depoimento de Adriana Bastos mostra a importância da campanha do Outubro Rosa para alertar a mulher para o cuidado com o seu corpo, sobretudo no que diz respeito ao câncer de mama, segunda causa de morte entre as mulheres. Na Bahia, em 2017, foram 951 óbitos, e os dados preliminares de 2018 já contabilizaram 614.

De acordo com Tais Argolo, médica mastologista do Centro Estadual de Oncologia (Cican), quanto mais precoce se faça o diagnóstico, mais chances a mulher tem de ficar curada da doença. Ela explica que no estágio “1” (a classificação do grau da doença vai de 1 a 4), as probabilidades de cura podem chegar a 95%.

A médica ainda acrescenta que a doença é resultado de uma série de fatores como genética, tabagismo, consumo de álcool, falta de atividade física, dentre outros. Para ela, o peso de cada um desses fatores varia de mulher para mulher, mas ao adotar hábitos mais saudáveis, elas poderão evitar em até 30% o aparecimento da doença.

Tais Argolo também ressalta a importância de a mulher conhecer o seu corpo, “pois quando se conhece bem, qualquer alteração é possível perceber”. E cita o exemplo do exame de toque que deve ser realizado nas mamas pelo menos uma vez ao mês. Foi o que ocorreu com Lucinaide Oliveira Silva, que percebeu um caroço ao apalpar minhas mamas. “Fui buscar atendimento médico para saber realmente o que era e, com o diagnóstico confirmado, comecei o tratamento no Hospital da Mulher”.

Mas a mastologista Tais Argolo deixa claro que o autoexame não substitui a mamografia, que tem a capacidade de detectar o problema muito no início, ao contrário do toque que só é possível perceber quando a alteração está em estágio mais avançado.

Por isso a importância do rastreamento do câncer de mama realizado em unidade móveis da Secretaria da Saúde do Estado, que de 2015 a 2018 já realizou cerca de 1,3 milhão de exames, abrangendo todos os municípios baianos. O programa, além de detectar a doença, encaminha a paciente para tratamento, tendo como referências o Hospital da Mulher e o Centro Estadual de Oncologia (Cican), além das unidades habilitadas para atendimento em câncer no estado (Unacon’s).

E em outubro, mês da campanha, as ações de sensibilização e mobilização são intensificadas com mutirões de mamografia, palestras, iluminação de monumentos históricos das cidades, dentre outras atividades.

Este ano, o mutirão será realizado no Cican todos os sábados, exceto o dia 13/10, sempre das 7 às 13 horas. Para ser atendida, a paciente deverá comparecer com cópia e original da carteira de identidade, CPF, cartão SUS, comprovante de residência e ter idade entre 50 a 69 anos. Na ocasião, enquanto esperam o atendimento, as mulheres terão a oportunidade de assistir às palestras oferecidas na unidade.

No interior, no mês de outubro, as unidades móveis do programa Saúde sem Fronteiras estarão nas regiões de Saúde de Brumado e Seabra.

Deixe Seu Comentário