ENGIE recebe licença de Operação do Complexo Eólico Campo Largo

ENGIE recebe licença de Operação do Complexo Eólico Campo Largo

A ENGIE recebeu, na última quinta-feira (22), a última Licença de Operação do Complexo Eólico Campo Largo, em implantação nos Municípios de Sento Sé e Umburanas, na Bahia. Emitida pelo Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos – INEMA, a licença soma-se a outras 10 previstas na primeira fase do empreendimento.
O Complexo Eólico Campo Largo é composto de 121 aerogeradores, dos quais 110 já se encontram em operação comercial. Com capacidade total de 326,7 MW, o Complexo poderá abastecer uma população de até 600 mil habitantes.

De acordo com o gerente de projetos, Márcio Neves, esta etapa comprova o cumprimento de todos os requisitos exigidos pelo Órgão de MeioAmbiente. “Mais uma vez comprovamos nossa capacidade em implantar projetos de forma sustentável sócio-ambientalmente. Completar esta etapa é mais um reconhecimento da nossa forma de atuação”, afirma o gerente.

As obras do Complexo Campo Largo seguem com a finalização das atividades de comissionamento. Na última quinta-feira, o último aerogerador foi içado, encerrando a etapa de montagem. A previsão é de que até a primeira quinzena de dezembro todas as atividades de implantação sejam concluídas, quando o Complexo entrará em operação por completo.

“Toda estrutura já está pronta e licenciada, um motivo de orgulho para a empresa e para a equipe. Montamos 121 aerogeradores em Campo Largo, mais do que já havíamos montadoem outras obras executadas pela ENGIE no Brasil, comprovando nossa capacidade de fazer cada vez melhor, mais rápido e com segurança”, destacou o gerente da obra, Murilo Boselli.

Sobre a ENGIE Brasil
No Brasil, a ENGIE é a maior produtora privada de energia elétrica no País, operando uma capacidade instalada de 10.898,8 MW em 31 usinas em todo o Brasil, o que representa cerca de 6% da capacidade do País. O Grupo possui 90%de sua capacidade instalada no Brasil proveniente de fontes limpas, renováveis e com baixas emissões de gases de efeito estufa, posição que tem sido reforçada pela construção de novas eólicas no Nordeste e por uma das maiores hidrelétricas do País, Jirau (3.750 MW), localizada no rio Madeira, da qual a ENGIE detém participação de 40%.

O Grupo também atua na área geração solar distribuída e oferece serviços relacionados à energia, engenharia e integração de sistemas, atuando no desenvolvimento de sistemas de telecomunicação e segurança, iluminação pública e mobilidade urbana para cidades inteligentes, infraestruturas e a indústria de óleo e gás. Contando com 2.100 colaboradores, a ENGIE teve no Brasil em 2017 um faturamento de R$ 7 bilhões.

Deixe Seu Comentário